quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Despedida


E no silêncio do meu quarto
Depois de apagar as luzes
Reflito, aflito, sobre tudo
e unicamente sobre ti.

Pensando... quero esquecer que vou embora,
Dizer que era só um sonho ruim,
Que nunca me passou pela cabeça ir-me daqui

Calo minha agonia transformando-a em palavras
Escrevo parágrafos, páginas, livros em alguns instantes.
Puras dedicatórias a ti,
E um pouco de algum sentido.

Em meu pensamento, o argumento,
que sempre habita a ponta da língua, some.
E fico ali, num silêncio inquieto, buscando algo
A dizer-te, a confessar-te.

Que senti previamente a dor que mais tarde sentirei, ao deixar-te.
Que senti o vazio que a distância constrói,
Como um abismo imenso entre nós, e quero asas.
Que explodam de minhas costas, à alegria

Rasgaria minha pele,
Jogaria meu corpo ao vento,
E seria depois o meu alento
Ter a eternidade para ti.

Guará Cabrera

Leia mais textos do Prosopopéia:

Vamos fazer uma revolução - Guará Cabrera
Discussão poética - Tatá Freitas

45 comentários:

mariana 19 de novembro de 2009 07:34  

Lindas frases Guara.. só é triste pensar no motivo que as inspirou!
A foto ficou perfeita!
Créditos? Rosana: apertar o botão
haha beijos!

Menina X. 19 de novembro de 2009 15:52  

Lembrei de alguém ao ler o poema,que lindoo,bem profundo!Também escrevo poesias,achei demais! Vou seguir seu blog! beijos

Guara 20 de novembro de 2009 02:16  

verdade...
Modelo> Guaraci Cabrera
Regulador de câmera ângulo de foto e pose> Guaraci Cabrera
Apertar o botão da máquina> Rosana Cabrera!

Ramon Theobald 20 de novembro de 2009 15:56  

Gostei muito do blog.
Vou seguir agora.
Depois passa no meu

Abraço

sidnei 24 de novembro de 2009 14:39  

Ah muito bom este blog gostei!
sucesso com o blog!

http://seligainfo.blogspot.com/

iMarty Turbo 24 de novembro de 2009 14:39  

frases bonitas, esse é o verdadeiro amor

Strider 24 de novembro de 2009 14:42  

Pow, o cara com a mala pronta para partir do alto do prédio me lembrou de quando eu já tive vontade de me suicidar. Infinita tristeza.

Hoje, sou um homem mais feliz.

Guilherme Bayara 24 de novembro de 2009 14:46  

Lindissimo poema.
A distancia pode causar muita dor.


Late at Night

LK Chaves 8 de janeiro de 2010 07:33  

Nossa...
Muito triste!
Muito lindo tbm...
Gostei!

Abs

Clóvis André 8 de janeiro de 2010 07:34  

Nossa cara q triste! Tudo por um grande amor , o poema reflete mto bem esse ato de loucura!
"Rasgaria minha pele,
Jogaria meu corpo ao vento,
E seria depois o meu alento
Ter a eternidade para ti."
O final ficou perfeito!

Deane Castro 8 de janeiro de 2010 07:47  

é. não tem jeito.
despedidas são sempre dificeis, e dolorosas..=/
amei o poema,
volto depois pra ver as novidades,
abraço!

Pedro 8 de janeiro de 2010 07:47  

Heey,
O fim de um grande amor!
Os melhores poemas surgem de situações como essa!

O fim desse amor te provoca uma sensação de liberdade ,mas você ainda ama e faria de tudo pra continuar amando!!

=)

Pobre esponja 8 de janeiro de 2010 08:02  

Rasgar a pele... ser alma: esse é o "strip" que o ser humano, tirante alguns que caem de cabeça na existência, não se atreve.

abç
Pobre Esponja

tielly,  8 de janeiro de 2010 15:49  

a separação é algo tão triste que chega a ser belo de uma maneira confusa.
A saudade é uma emoção que alimenta tanto a alma que ela por vezes,parece que não consegue suportar a dor.
Amei teu blog.
dê uma olhada no meu
http://semtempodeconversar.blogspot.com/

lais. 8 de janeiro de 2010 15:50  

ameei seus textoos viiu... mto bom msm!


parabens

lah liima 8 de janeiro de 2010 15:55  

mto bom..
adorey msmo!
visita: http://quemodaeessa.blogspot.com/
beeijos

Jhonny 8 de janeiro de 2010 17:25  

Encantador [.]
parabééns .

SO.L. 9 de janeiro de 2010 07:52  

É.

Que seja eterno enquanto dure.

Nova Quahog 9 de janeiro de 2010 13:56  

eu só queria voltar pra casa!

Coisas Esotéricas 10 de janeiro de 2010 10:17  

eh Lindo mesmo muita criativade e Inspiração!

bjs seguindo você!

Thaty 10 de janeiro de 2010 10:31  

Eu tbm quero asas.. pra poder voar bem alto e quem sabe assim esquecer um pouco dessa solidão... Ameeeeeeeei

Rodolfo Soares 10 de janeiro de 2010 10:56  

Lembra muito meu momento, agora!

Obrigado pelo texto!

Abraços

Luisa 10 de janeiro de 2010 11:00  

É uma dor comum à maioria d enós na partida, mas que poucos conseguem exprimir tão bem.

Bela escolha nas palavras =)

Gutt e Ariane 11 de janeiro de 2010 08:25  

Por mais sofrivel que seja, as vezes buscar novos horizontes faz-se mesmo necessário...

Igor Feijão 11 de janeiro de 2010 08:31  

Texto bonito, pena q sao tristes! mas parabens plo texto! =D

______

Entra la no meu blog tb. Siga e comente!

http://seriadobretania.wordpress.com/

Thalita 11 de janeiro de 2010 08:31  

q bacana...
eh legal ver as poesias de alguns altoras q agente ñ conhece...

lepuissant 11 de janeiro de 2010 08:38  

Vim deixar minha markinha!!!
Ameii o blog!!
bjss

AtReViDo 11 de janeiro de 2010 08:50  

Despedidas, não importa qual seja são muito dolorosas. Belas Palavras. Abraço. *.-

Annie Farokh 11 de janeiro de 2010 09:12  

Incrível!
Você tem um talento IMENSO, que deve ser muito reconhecido :O
Estou besta de ver, meus sinceros parabéns! *.*
Podemos ser parceiros? Sua escrita me inspira!
http://historiasdeannie.blogspot.com

Davi Alves 11 de janeiro de 2010 10:22  

foi você que escreveu isto serio?

amei a poesia,salvei no meu pc,e queria postar no meu blog,se vc permitir comenta la autorizando..abs

www.contemporaneoeindiscreto.blogspot.com

visita la,se vc gostar comenta e a gente troca posts!

Pobre esponja 12 de janeiro de 2010 10:43  

A eternidade pode ser muito tempo. Claro, que como figura de linguagem fica legal. Tipo aquele lance "Que seja infinito enquanto dure".

abç
Pobre Esponja

Tami 29 de janeiro de 2010 07:55  

Moça,
seu blog é muito legal.Otganizado, criativo, colorido.Verdadeiramente ameiiii!

Já adicionei aos meus favoritos.
beijinhO

Klaison Simeoni 23 de março de 2010 12:55  

Despedidas sempre são necessárias. Ela pode ser a fronteira entre a loucura e a sanidade. Isso porque não sabemos se será a última. E se por algum motivo (raiva, brigas ou sei lá mais o que) não se despediu, se arrependerá amargamente, durante todos os dias de sua vida.

Abraços.

http://padaquipadai.blogspot.com/

KGeo 31 de maio de 2010 13:08  

texto bacana assás bom

KGeo 31 de maio de 2010 13:21  

um bom texto de desperdida

Luan Silva 31 de maio de 2010 14:20  

muito bom seus versos, apesar de não curtir muito poesia =]

Inez 7 de junho de 2010 14:23  

Lindo poema.
Parabéns por publicá-lo.
A foto é muito boa.

Jhonny 7 de junho de 2010 14:23  

Gostei muito do seu texto. Bem criativo! Parabéns pelo blog. Abraço.

Pobre esponja 30 de junho de 2010 11:25  

Parabéns por essa poesia, que já comentei, como tudo aqui, todos os posts.

abç
Pobre Esponja

30 e poucos anos. 30 de junho de 2010 11:46  

É o 3º que leio e gostei muito....parabéns

Guara Cabrera

....

Tatá Freitas

...

  © Blogger templates Newspaper III by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP